City Blog

Dicas e Cuidados

‪‪7 mitos sobre o Aedes aegypti – você precisa saber disso ainda hoje

Anualmente, mais de 390 milhões de pessoas são infectadas por ele, isso você já sabe. Sabe também que ele é originário do Egito, é capaz de voar mais do que 1,5 metros de altura, tem 4 sorotipos… Mas, existem 7 mitos sobre o Aedes aegypti que talvez ainda você não conheça.

Nós listamos cada um desses mitos para que você não fique a mercê do que ouve por aí.

Inclusive, o 7º mito é um dos mais disseminados no Brasil, mas não é verdade.

E fala justamente sobre o uso de repelentes (produtos para a pele) como forma de combater o mosquito por tempo indeterminado… Bem, melhor você ler todos os tópicos!

1 – Ar-condicionado pode matar o Aedes aegypti?

Ventiladores, ar-condicionado, aparelhos de resfriamento ou de esquentamento… Nada disso mata o mosquito Aedes aegypti, está bem?

Vamos entender uma coisa: quando ligamos o ar-condicionado a uma temperatura baixa ou com baixa umidade do ar, a ação inibe o comportamento do mosquito. Isso é verdade.

Por outro lado, ele apenas terá mais dificuldade detectar onde estará uma possível vítima a ser picada – e isso não o mata.

Então, o ar-condicionado pode até ser uma medida de prevenção, mas totalmente temporária. Porque quando você desligar o aparelho, o mosquito ainda estará lá.

Didaticamente falando, o ar-condicionado apenas “espanta” o mosquito, que vai poder voltar em outro e qualquer momento, especialmente quando os aparelhos estiverem desligados.

2 – Secar reservatórios de água parada mata o mosquito?

Esse é outro dos mitos sobre o Aedes aegypti.

Mesmo porque o simples comportamento de você secar os reservatórios de água parada não vai impedir que o mosquito se reproduza, futuramente, nesse local.

O correto é limpar todo o local. E secar é bem diferente de limpar, está bem?

Entenda que o ovo do Aedes ainda pode se manter vivo após o esvaziamento do reservatório.

Aliás, aqui cabe uma informação que tem tudo a ver com isso: os ovos desse mosquito podem se manter vivos por mais de 12 meses sem água. O que prova que apenas esvaziar o reservatório não é suficiente para matar o mosquito.

Esvazie e limpe!

3 – Vitamina B afasta o mosquito?

Existem alguns insetos que são inibidos e podem até morrer com o uso de alguns ingredientes. Por exemplo, quem tem mais vitamina B no corpo pode estar mais protegida, assim como quem usa produtos à base de alho ou cebola.

Em alguns insetos, isso realmente funciona. Com o Aedes aegypti, não.

É verdade que ele é atraído conforme a respiração das pessoas e o gás carbônico que é exalado do organismo – isso é provado em estudos.

Mas, a ingestão de vitamina B ou dos cheiros dos alimentos não é uma medida eficaz para combater à dengue.

Logo, esse é outro dos mitos sobre o Aedes aegypti.

Resumidamente: tomar vitamina B pode afastar, temporariamente, o mosquito, mas (como o uso do ar-condicionado) isso não vai durar muito.

E, além do mais, depende de cada metabolismo de cada pessoa, podendo surgir efeito ou não.

4 – A picada do Aedes sempre transmite as doenças?

Não.

Não é assim que funciona.

Primeiro, é importante entender que o mosquito tem que estar contaminado para “repassar” o vírus.

Depois, outro ponto a ser analisado é que cerca de 50% de todas as pessoas picadas não desenvolvem a doença – ficando isentas.

Conforme o governo do Paraná, entre 20 e 50% das pessoas vão desenvolver formas “subclínicas” da doença em destaque.

Isto é: nem chegam a apresentar sintomas.

Assim, se você for picado, o mais recomendável é procurar um posto de saúde ou algum especialista da saúde para tomar as devidas providências.

5 – Borra de café nas águas das plantas mata os ovos?

Mais um dos mitos sobre o Aedes aegypti.

E esse é um dos grandes mitos, né.

Bom, ainda não foi publicada alguma pesquisa que prova a eficácia da borra de café na água das plantas ou sobre a terra para combater o mosquito da dengue e de outras doenças.

O que foi verificado é que a larva do mosquito se desenvolve na água suja com a borra de café. Isso sim é verdade.

Portanto, ao invés de usar a borra, a dica é eliminar os pratos dos valos ou colocar areia até a borda para que nenhuma água fique acumulada e a reprodução do Aedes não aconteça.

O conselho adicional, e muito importante, é: lavar os pratos com buchas e sabão, todas as semanas. Isso é totalmente eficaz contra a dengue a sua reprodução.

6 – Larvas só se desenvolvem em água limpa?

Os ovos do mosquito Aedes aegypti também conseguem se desenvolver em água suja e parada.

Portanto, mais um mito.

Hoje em dia, pesquisadores estão tentando descobrir também se as fêmeas têm realmente a preferência pela água limpa, já que nada sobre isso foi comprovado.

Logo, para um combate efetivo, é muito importante acabar com qualquer reservatório de água parada, seja a limpa ou a suja.

7 – Repelentes acabam com a dengue?

Esse é dos mitos sobre Aedes aegypti que merecem atenção.

Todos os repelentes, as velas de citronela ou as andirobas não têm efeitos no combate à dengue no longo prazo.

Eles funcionam exatamente como os ar-condicionado, que inibem a ação dos mosquitos temporariamente, enquanto o líquido faz efeito.

Assim sendo, a recomendação é sim usar esses produtos, especialmente em viagens ou locais onde há a possibilidade do mosquito.

Só mais efetivo do que isso, é estar longe dos mosquitos, combatendo a procriação deles.

Outras curiosidades do Aedes aegypti

Para terminar o artigo, considere ainda algumas especificidades sobre o mosquito, que pode transmitir a dengue, o zika vírus e outras doenças.

O mosquito é pequeno e pode ser preto ou marrom. Tem manchas brancas nas patas e no corpo.

Ele atua fortemente (para encontrar vítimas) pelos horários da manhã e final da tarde.

Não gostam do sol e não emitem zumbidos que são audíveis por humanos.

A picada, geralmente, não dói e nem sempre causa coceiras.

Eles se alimentam da seiva das plantas e o sangue humano é usado para a maturação dos ovos das fêmeas.

Um mosquito Aedes aegypti tem tempo médio de vida de 30 dias, só que uma única fêmea pode gerar até 1,5 mil outros mosquitos.

E, hoje em dia, a melhor forma de combater as doenças causadas pelo mosquito é sabendo dos mitos sobre o Aedes aegypti e fazendo a prevenção.