City Blog

Mercado Farmacêutico

3 vantagens de estar licenciado a uma rede

Você não precisa pagar taxa de adesão. E essa é apenas uma das muitas vantagens de estar licenciado a uma rede. Além disso, você pode comercializar produtos e serviços próprios – desde que ligados à atividade-fim da marca.

Se você está com dúvida em qual negócio investir ou se quer encontrar uma das melhores tendências de negócios para ganhar dinheiro em 2018, então, você tem que saber o que é ser um licenciado.

Você já viu duas vantagens de ser um licenciado de uma rede, né [sem taxas de adesão e liberdade para comercialização de produtos]. Mas, esse só um começo.

Antes de você considerar todos os motivos que tem para começar um negócio próprio com uma marca forte por trás, vamos entender o que é, de fato, um licenciamento.

Licenciamento a uma rede – o que é isso?

Licensing ou licenciamento é o direito contratual de usar uma marca, imagem ou propriedade intelectual e artística já registrada e que pertença a terceiros.

Essa é a definição divulgada pela ABRAL (Associação Brasileira de Licenciamento).

E isso vale para produtos, serviços, peças de comunicação promocional ou publicitária.

Quem se torna um licenciado tem o direito que fica concedido por tempo indeterminado, sendo que na troca é preciso fazer uma remuneração, feita sob um percentual aplicado sobre o valor gerado com as vendas.

No Brasil, essa remuneração tem nome: royalty.

O royalty, portanto, é a remuneração sobre os direitos de propriedades industriais e marcas.

Como saber se ser licenciado de uma rede vale a pena?

Para o licenciamento ter sucesso na vida do empreendedor, ele precisa analisar vários pontos, mesmo antes de se tornar um licenciado.

Isso porque o licenciamento não foca na construção da marca – porque ela já existe. E sim no desenvolvimento das marcas já existentes que vão receber valor agregado.

Separamos alguns subtópicos para os empreendedores saber se ser um licenciado será vantajoso do ponto de vista financeiro e mercadológico.

Percepção

Essa etapa vai te mostrar que os produtos que já estão sendo comercializados estão sendo bem recebidos pelo público alvo.

A percepção é perceber justamente o comportamento do consumo, a aceitação dele no mercado ou a negação.

Como fazer isso?

O mais indicado é usar o monitoramento das ações do produto e da marca.

Também é viável que se faça um mapeamento geográfico, de consumo, captação de público, fornecedores, clientes, etc.

Mensagem

Depois, para continuar analisando se ser um licenciado vai dar certo, você deve entender como a marca se comunica com o cliente.

  • Quais os instrumentos de publicidade usados?
  • Qual é a identidade e como ela é divulgada?
  • Quais as mídias mais usuais?

Todas essas perguntas têm a ver com a mensagem que é passada aos colaboradores e aos consumidores finais também.

Finanças

Também é importante que você faça uma avaliação geral sobre o planejamento financeiro que tem disponível para levar adiante o projeto do licenciamento de uma loja.

Isso inclui pensar em empréstimos, recursos próprios, ajuda financeira de sócios, pagamento de eventos e das ações de marketing.

A parte financeira é crucial para o projeto dar certo.

Por fim, você vai poder saber se os pontos positivos são fortes o suficiente para fazer você ganhar dinheiro com esse tipo de negócio.

Quais as vantagens de ser licenciado a uma rede

Para produzir esse tópico, que é a parte central do artigo, listamos algumas vantagens que se tem quando é licenciado de uma rede.

Além de tudo que já foi dito até aqui, existem 3 pontos que são importantíssimos para quem quer empreender e está observando o setor farmacêutico como uma grande tendência de mercado.

E, ainda com informações da ABRAL, há uma estimativa de que existam:

  • mais de 500 empresas licenciadas,
  • 600 licenças disponíveis,
  • 50 agências licenciadoras e
  • mais de 1,5 mil empregos gerados.

1 – Economia Financeira

Com informações da Cityfarma, a principal vantagem de ser um licenciado de uma loja é a economia financeira.

Isso porque há o suporte comercial, as compras são centralizadas, merchandising, trade… E tudo que é somado para incrementar os resultados das lojas.

Para isso, ela aposta no Cartão Fidelidade (Programa de fidelidade ou fidelização), que tem políticas comerciais e gerenciamento estratégico de descontos.

Esse cartão é feito sem burocracia e com benefícios como 80% de descontos em medicamentos, atendimento especializado e mais de 6 mil medicamentos com descontos especiais dos melhores laboratórios.

2 – Gerenciamento do Marketing

No licenciamento também é possível fazer campanhas e seguir um calendário de eventos, tudo sendo gerenciado de forma unitária.

Isso inclui temas como categorias e setorização de lojas, mídias sociais, encarte, lâmina de ofertas, materiais, insumos padronizados, etc.

3 – Gestão e Suporte

O sistema de gestão da loja é unificado e integrado com toda a rede.

Isso tem a ver com a conciliação bancária, estoques, centralização de compras, planejamento e gestão (tributária e fiscal).

O licenciado também tem assessoria jurídica, farmacêutica, de TI (Tecnologia da Informação), performance e visitas presenciais.

Vale a pena ser licenciado de uma marca?

O mais importante antes de responder essa pergunta é entender que o setor de licenciamento exige muito em relação ao conhecimento da marca.

Alguns processos podem demorar um pouco e independente da área vai exigir um bom planejamento do empreendedor.

Por outro lado, trazem muita exclusividade às lojas, que podem aumentar as demandas de oferta.

Geralmente, elas são mais fáceis de os consumidores associaram o produto à marca porque a ideia já está fixada na mente de cada pessoa.

Você não precisa criar um projeto do zero para conseguir atender de forma adequada a um determinado público, a um determinado segmento da comunidade.

Já especificamente sobre o setor farmacêutico em 2018, há uma tendência de alta que deve ser mantida.

Para a Febrafar (Federação Brasileira das Redes Associativas de Farmácias), o aumento nas vendas deve continuar porque os preços dos medicamentos tiveram baixos reajustes no início do ano.

“Acredito que manteremos a faixa de crescimento obtida neste ano, esse fato se deve a diversos fatores, dentre os quais o de que não se projetar um aumento muito alto nos preços dos medicamentos”.

A frase acima é do presidente da Febrafar, Edison Tamascia, que cedeu uma entrevista a vários meios de comunicação no início do ano.