City Blog

Dicas e Cuidados

“Não me preveni na última relação” – Como funciona a pílula do dia seguinte?

Saber como funciona a pílula do dia seguinte é uma dúvida muito comum na vida de muitas mulheres… O problema é que boa parte delas deixam para pesquisar esse assunto apenas quando estão “à beira de tomar uma decisão que pode mudar totalmente as suas vidas”.

Basicamente, a pílula do dia seguinte é uma pílula anticoncepcional que tem efeito imediato para evitar a gravidez.

Agora, se você quer saber quais os efeitos de tomar esse remédio e quando tomar a pílula do dia seguinte, melhor continuar lendo o artigo até o fim.

Pílula do dia seguinte: urgência ou emergência?

Urgência e emergência são coisas bem diferentes.

Urgente é aquilo que precisa ser feito de forma rápida, do tipo em até 72 horas.

Já emergente é algo que se não for feito vai gerar resultados diferentes do que você deseja.

Ambas se parecem, mas não são a mesma coisa!

Então, em muitos casos, a pílula do seguinte é urgente e emergente, sim.

Urgente porque não terá validade se for tomada após 72 horas e emergente porque se não for tomada pode tornar a mulher uma gestante.

O mais importante aqui, no entanto, é você entender como funciona a pílula do seguinte, considerando que ela não é um método anticoncepcional que deve ser usada de forma constante.

Ela, realmente, é apenas para casos emergenciais.

Então, se você fez sexo e a camisinha estourou, pode usar a pílula do dia seguinte como uma forma segura de evitar a gravidez.

Só que essa pílula não deve ser tomada todas as vezes que você for fazer sexo – isso seria altamente prejudicial para o seu organismo.

Ah, apenas para tirar a sua dúvida, se você tomar essa remédio consequentemente e corriqueiramente vai acabar tendo resultados como a não fertilidade e até mesmo adquirir doenças graves, como o câncer.

Quando tomar a pílula do dia seguinte?

Esse medicamento é composto por um hormônio que faz com que o ovário da mulher libere um óvulo para que a reprodução dos espermatozoides não aconteça.

Mas, atenção: como todo método contraceptivo, esse também pode falhar e está longe de ter uma garantia igual ao da camisinha, que deve ser o preservativo mais usado no mundo.

E mesmo porque essas pílulas não vão te prevenir de doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Bom, quando tomar a pílula do dia seguinte?

Para que ela tenha condições de funcionar bem, você tem que tomar a pílula em até 72 horas depois do coito [sexo], sendo que quanto mais rápido isso acontecer, maiores as chances de eficácia.

Em números, as porcentagens são mais ou menos as seguintes:

  • Se você tomar bem rapidamente, chances quase zero de engravidar,
  • Se tomar até o fim do 1º dia após o sexo, proteção de 95%,
  • Se for até o 2º dia o número cai para 80%,
  • A partir do 3ºdia, as suas chances de não engravidar são de 37%,
  • Enquanto que a partir do 4º dia, a pílula já nem funciona mais.

E isso explicaria também porque não é aconselhado o uso contínuo da pílula: porque ela vai alterar o sistema hormonal.

Então, quanto mais você fizer isso, mais “acostumado” o seu organismo vai estar, a ponto de que não faça mais efeito algum.

É exatamente o que acontece com os remédios antibióticos.

Então, mesmo tomando a pílula posso engravidar?

Claro que sim.

Além das probabilidades que mostramos acima, considere que a pílula do dia seguinte é 15 vezes menos eficaz do que a pílula anticoncepcional que é tomada em um tratamento diário.

Como funciona a pílula do dia seguinte?

A pílula do dia seguinte tem muitos hormônios e se você está em um período fértil, ela funciona exatamente como um abortivo, já que impede a fecundação do espermatozoide.

Na teoria, quando você tem a fecundação, a pílula consegue modificar as condições da mucosa do revestimento do útero e impede que esse óvulo consiga se “aninhar” no tecido uterino.

Como consequência disso, existem as contraindicações da pílula do dia seguinte.

Sendo que elas nunca são indicadas para quem tem problemas no sangue, considerando que ela aumenta a coagulação do sangue.

E se você tem obstrução dos vasos e tromboses, os sintomas podem piorar muito.

Além disso, os médicos não aconselham para mulheres que estão em níveis críticos de obesidade, que são hipertensas ou diabéticas.

Aquelas que fumam também devem evitar porque o cigarro também provoca o mesmo tipo de problema citado acima – no caso do sangue.

E as mulheres que têm doenças mais graves podem até ficar estéreas tomando a pílula anticoncepcional.

Tomar a pílula do dia seguinte: eis a questão!

Como foi mostrado neste texto, a pílula do dia seguinte é um medicamento que inibe reprodução do espermatozóide no organismo feminino, portanto, é uma medida considerada por muitos médicos como abortiva.

Ela pode ser usada como forma emergencial, mas nunca de maneira constante.

Isso porque tem substâncias, como os hormônios, que são expostos ao corpo feminino de forma muito acentuada, o que causa um desequilíbrio no ciclo hormonal.

Se usada sempre, ela pode se tornar inválida para as mulheres ou, na pior das hipóteses, podem causar efeitos colaterais dos mais adversos.

Isso quer dizer que se você precisa “tomar a decisão mais importante da sua vida ao escolher tomar ou não a pílula do dia seguinte”, faça isso com sabedoria.

Porém, se você precisar fazer isso mais de uma vez, vai indicar que você não está se prevenindo da forma que deveria e nesse caso é preciso encontrar outra maneira, mais saudável e efetiva, de evitar a gravidez.

Novamente, considere que os meios contraceptivos mais recomendados são as camisinhas, tanto masculinas quanto feminina, que são maneiras seguras e que ainda previne as DST.

Em caso de dúvidas, busque auxílio no seu médico especialista, o ginecologista.

Ele vai poder te orientar melhor sobre a pílula do dia seguinte e também sobre outras formas de prevenir a gravidez indesejada.